##issue.vol## 11, ##issue.no## 1 (2008)

DOI: http://dx.doi.org/10.18224/educ.v11i1


##issue.coverPage.altText##
Noemy da Silveira Rudolfer (1902 - 1988) é a homenageada deste número da Educativa. Paulista de Santa Rita do Viterbo, foi aluna e colega de Lourenço Filho na Escola Normal Padre Anchieta, sendo depois convidada por ele para vários cargos públicos. Em 1927, realiza cursos de formação no Teachers College da Columbia University, quando, segundo relatos de Anita Cabral, teve a oportunidade de conhecer as idéias de Dewey, Kilpatrick e Walker, que posteriormente divulga no Brasil. Divulga também idéias dos seguintes autores ligados à  Psicologia Educacional: Thorndike e Gates - estudo comparativo das teorias da aprendizagem com ênfase no conexionismo; Gesell e Bühler - psicologia da criança, psicologia da adolescência; Holingworth e Cole - psicologia das diferenças individuais.
Lourenço Filho a convida em 1931 para chefiar o Serviço de Psicologia Aplicada da Diretoria Geral do Ensino do Estado de São Paulo e, em 1932, para assumir a Cátedra de Psicologia Educacional e o Laboratório de Psicologia Educacional, ambos pertencentes então à  Escola Normal Caetano de Campos. O laboratório nesse momento dispunha de 17 funcionários e subdividia-se em quatro seções principais: Medidas Mentais, Medida do trabalho escolar, Orientação, Estatística. Durante 10 anos funcionou ativamente e, entre outras coisas, serviu como possibilidade de desenvolvimento de atividades práticas para os alunos estagiários. Em 1935 é nomeada professora de Psicologia do Instituto Caetano de Campos, incorporado à  Universidade de São Paulo, onde permanece até 1954, quando é substituída por Arrigo Leonardo Angelini, convidado para ser seu assistente em 1948.
Em 1936 defende sua tese de cátedra, A evolução da psicologia educacional através de um histórico da psicologia moderna. Em 1938 publica um livro cuja primeira edição tem o mesmo título de sua tese. No prefácio, a autora esclarece que teve a intenção de fazer uma revisão da história da Psicologia, incluindo a evolução da Psicologia Educacional, dada a escassa bibliografia existente no período. Considerava também que as inúmeras perspectivas existentes poderiam confundir o aluno de Psicologia. Em 1960, na segunda edição, o título é modificado para Introdução à  psicologia educacional. A grande modificação introduzida é o capítulo final, onde inclui cinco modernas teorias de aprendizagem: teoria dos estímulos, de E.R.Guthrie; teoria do condicionamento, de Clark Hull; teoria de campo, de Kurt Lewin; teoria organísmica da aprendizagem, de Wheeler; teoria da aprendizagem com um propósito e o comportamento molar de Tolman.
Foi presidente do I Congresso Paulista de Psicologia, Neurologia, Psiquiatria, Endocrinologia, Medicina Legal e Criminologia, realizado em São Paulo em julho de 1938. Segundo depoimento de Anita Cabral (1950), Noemy, seguindo os passos de Thorndike, que se aproximou da gestalt, passa a dar mais atenção ao desenvolvimento da personalidade infantil, aos testes projetivos, aproximando-se mais da psicologia clínica e da psicanálise. Os três artigos que publicou na década de 1950 no Boletim de Psicologia demonstram essa tendência. Os títulos são: Os Motivos Profundos no Desenho Infantil, Psicologia Profunda das Manifestações Artísticas e Critérios em Uso na Moderna Psicologia. Em 1961 é eleita para a primeira diretoria da Sociedade Paulista de Psicoterapia e Psicologia de grupo, dedicando-se à  clínica psicanalítica até o ano de sua morte.