???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.pucgoias.edu.br:8080/handle/tede/1759
Tipo do documento: Tese
Título: A INFLUÊNCIA DA CULTURA ORGANIZACIONAL, SUPORTE E COPING NO BEM-ESTAR DOS TRABALHADORES: UMA COMPARAÇÃO ENTRE OS MÉTODOS DE BARON & KENNY E HAYS E PREACHER.
Autor: Sohler, Flavio Augusto Settimi 
Primeiro orientador: Mendonça, Helenides
Primeiro membro da banca: Coelho, Cristiano
Segundo membro da banca: Ribas, José Roberto
Terceiro membro da banca: Paz, Maria das Gracas Torres da
Quarto membro da banca: Nalini, Lauro Eugênio
Resumo: O presente estudo teve como objetivo principal identificar o efeito da cultura organizacional mensurada pelos valores e práticas organizacionais - sobre as experiências positivas e negativas do bem-estar no trabalho,através do suporte organizacional e coping. Para tanto, foram utilizadas as escalas de Experiências Positivas e Negativas no Trabalho; Instrumento Brasileiro de Avaliação da Cultura Organizacional; Escala de Percepção de Suporte Organizacional e Escala de Coping. Participaram da pesquisa os funcionários de uma empresa estatal federal. Esta investigação adotou regressão padrão e hierárquica de análise classificados como qualitativos e quantitativos. A análise dos dados demonstrou que os fatores de valores do profissionalismo cooperativo e de satisfação e bem-estar dos empregados foram preditores dos afetos positivos.Identificou ainda que os valores de profissionalismo cooperativo e práticas de promoção do relacionamento interpessoal estão associados negativamente aos afetos negativos. Esses resultados demonstraram que,quanto mais a empresa apresenta uma cultura de valores do profissionalismo cooperativo, maiores são as experiências positivas dos trabalhadores e, analogamente, menores são as negativas. Os fatores de valores de profissionalismo cooperativo, profissionalismo competitivo e satisfação e bem-estar dos empregados, além da prática de promoção do relacionamento interpessoal, foram preditores do suporte organizacional. Os resultados demonstraram ainda que, quanto mais a empresa oferece suporte organizacional, maior é a experiência de afetos positivos dos trabalhadores e menor a de afetos negativos. Os resultados demonstraram ainda que a percepção de suporte organizacional foi mediadora entre os valores e práticas organizacionais e os afetos positivos e negativos do bem-estar dos trabalhadores. Os fatores de valores de profissionalismo competitivo e satisfação e bem-estar dos empregados foram preditores do coping de controle. Por sua vez, o coping de controle foi preditor tanto dos afetos positivos quanto dos afetos negativos. Entretanto, o coping não foi mediador entre a cultura organizacional e o bemestar no trabalho. Conforme tais resultados, as percepções do empregado quanto ao suporte organizacional e valores e práticas organizacionais bem sedimentadas entre os empregados poderiam ser apontadas como importantes dimensões da organização positiva para promover o bem-estar dos trabalhadores.
Abstract: The main objective of this study is to assess the effect of the organizational culture (which is measured by the organizational values and practices) upon the positive and negative past experiences related to the job well being, being such relationship mediated by the organizational support and coping. Therefore, there were adopted the scales of positive and negative past experiences related to the job well being; the Brazilian tool for the Organizational Culture assessment; Perceived Organizational Support and Coping Scales. The employees of a federal government company took part in this research. This assessment adopted some methodological procedures for analysis classified as qualitative and quantitative. The data analysis demonstrated that the two factors, the cooperative professionalism values and the employees satisfaction and well being, were predictors of the positive affection. Moreover, it identified that cooperative professionalism values and the practices for promoting the interpersonal relationship are negatively associated with the negative affections. Such results have demonstrated that, more the company comes out with a cooperative culture value, bigger are the positive experience with its work force, on the other hand, smaller are the negative ones. The cooperative professionalism value, the employees satisfaction and well being were both predictors of the control coping. In its turn, the control coping was the predictor of either the positive and negative affections. However, the coping was not a mediator between the organizational culture and the job well being. As results have shown, once the employee perceptions regarding the organizational support and values and organizational practices were well consolidated among the employees, they could be appointed as relevant dimensions for the positive organization towards promoting the workers well being.
Palavras-chave: Cultura organizacional
suporte organizacional
coping
bemestar no trabalho
Organizational culture
organizational support
coping
job well being
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de Goiás
Sigla da instituição: PUC Goiás
Departamento: Ciências Humanas
Programa: Stricto Sensu - Doutorado em Psicologia
Citação: SOHLER, Flavio Augusto Settimi. A INFLUÊNCIA DA CULTURA ORGANIZACIONAL, SUPORTE E COPING NO BEM-ESTAR DOS TRABALHADORES: UMA COMPARAÇÃO ENTRE OS MÉTODOS DE BARON & KENNY E HAYS E PREACHER.. 2013. 152 f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, GOIÂNIA, 2013.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/1759
Data de defesa: 11-Nov-2013
Appears in Collections:Doutorado em Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FLAVIO AUGUSTO SETTIMI SOHLER.pdf8,93 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.