???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.pucgoias.edu.br:8080/handle/tede/1761
Tipo do documento: Tese
Título: Sistema Penal e Psicologia: livre arbítrio e determinismo.
Título(s) alternativo(s): Criminal System and Psychology: Free will and determinism.
Autor: Lourenço, Cláudia Luiz 
Primeiro orientador: Simonassi, Lorismário Ernesto
Primeiro membro da banca: Heck, Elisa Tavares Sanabio
Segundo membro da banca: Santos, Pedro Sérgio dos
Terceiro membro da banca: Coelho, Cristiano
Quarto membro da banca: Britto, Ilma Aparecida Goulart de Souza
Resumo: Na ciência explicações do comportamento se baseiam tanto no determinismo quanto no livre arbítrio. A contraposição desses conceitos pode ser estudada a partir de comportamentos de escolha. Se todo comportamento é de escolha, então a questão sai de ambiente teórico para empírico. Experimentos demonstram variáveis responsáveis pela escolha. O objetivo geral do presente estudo foi de observar se participantes humanos são sensíveis à manipulação das probabilidades de reforçamento através da verificação da distribuição das respostas no elo inicial composto de duas alternativas e também quanto à distribuição das respostas nos elos terminais, com duas ou mais alternativas, e analisar tais resultados a partir dos conceitos determinismo e livre arbítrio. Foram feitos sete experimentos nos quais investigou-se a influência na distribuição de respostas com a manipulação das seguintes variáveis: I) atraso e probabilidade de reforço; II) número de estímulos e atraso; III) baixa probabilidade de reforço e atraso em conjunto e alta probabilidade; IV) probabilidade de reforço, atraso e número de estímulos; V) atraso e probabilidade de reforço separadamente; VI) mesma probabilidade e diferentes magnitudes (tempos) de atraso; VII) probabilidade de reforço e quantidade de estímulos. Foram solicitados relatos em algumas sessões. Participaram deste estudo alunos universitário com idades de 18 a 40 anos de ambos os sexos e sem história experimental. No Experimento I, quatro participantes foram expostos a cinco fases experimentais. Os resultados do Experimento I demonstraram que o efeito atribuído ao reforçador, a mudança comportamental, foi observado em todas as fases do experimento. O atraso mostrou-se eficiente na determinação da escolha de um dos elos iniciais. No Experimento II, quatro participantes foram expostos a cinco fases experimentais. Os resultados do Experimento II demonstraram que uma probabilidade baixa a variação no número de estímulos no elo terminal não produziu qualquer preferência por um dos dois estímulos no elo inicial e demonstrou a eficiência do atraso uma vez mais. No Experimento III, quatro participantes foram expostos a quatro fases experimentais. Os resultados do Experimento III demonstraram que as seguintes variáveis, manipuladas conjuntamente, produziram mudança comportamental para todos os participantes: Baixa probabilidade de reforço manipulada em conjunto com o atraso; Alta probabilidade de reforço manipulada sem atraso; Combinação de variáveis aversivas (baixa probabilidade de reforço 0,20 mais o atraso de 6 segundos) em um dos estímulos de escolha combinados, em escolha concorrente, com alta probabilidade de reforço (0,80) no outro estímulo, levou a escolhas exclusivas (maximização das escolhas). No Experimento VI, quatro participantes foram expostos a quatro fases experimentais. Os resultados do Experimento VI demonstraram que o atraso foi uma das variáveis mais relevantes na mudança de comportamentos juntamente com a liberação de reforços. No Experimento V, cinco participantes foram expostos a sete fases experimentais. Os resultados do Experimento V demonstraram que a introdução do atraso controlou a preferência para todos os participantes, sendo a probabilidade de 0,20 ou 0,80.No Experimento VI, dois participantes foram expostos a cinco fases experimentais. Os resultados do Experimento VI demonstraram que as variáveis manipuladas produziram mudança comportamental e que a maior magnitude do atraso foi mais eficiente. No Experimento VII, dois participantes foram expostos a nove fases experimentais. Os resultados do Experimento VII demonstraram que o número de variáveis determinantes dos comportamentos caminha para um número elevado. O conjunto de experimentos possibilitou verificar que das variáveis estudadas o atraso foi a mais eficiente na mudança de comportamentos e que há determinação do comportamento por diversas variáveis. O estudo propõe que o ordenamento jurídico considere tal determinação quando da elaboração da norma jurídica penal, numa expectativa de diminuição de comportamentos indesejáveis, tal como o comportamento criminoso.
Abstract: In science explanations, behavior is based on both determinism as in free will. The contrast of these concepts can be studied from behaviors of choice. If all behavior is choice, then the question comes from theoretical to empirical environment. Experiments demonstrate variables responsible for selecting. The general objective of this study was to observe whether human participants are sensitive to manipulation of the probabilities of reinforcement by checking the distribution of responses in the first link consists of two alternatives as well as the distribution of responses in the terminal links, with two or more alternatives, and analyze results from such concepts determinism and free will. Were made seven experiments in which we investigated the influence on the distribution of responses to the manipulation of the following variables: i) delay and probability of reinforcement and ii) delay and the number of stimuli, III) a low level of reinforcement with delay and on the other high probability; IV) probability of reinforcement, delay and number of stimuli, V) delay and probability of reinforcement separately, VI) and different magnitudes equal probability (time) delay; VII) probability of reinforcement and amount of stimuli. Were requested reports on some sessions. Participants were university students aged 18-40 years of both sexes and no experimental history. In the first experiment, four participants were exposed to five experimental phases. The results of Experiment I showed that the effect attributed to the reinforcer, behavioral change was observed in all phases of the experiment. The delay was effective in determining the choice of one of the initial links. In Experiment II, four participants were exposed to five experimental phases. The results of Experiment II showed that a low probability the variation in the number of stimuli in the terminal link produced no preference between the two stimuli in the initial link and demonstrated the efficiency of the delay once again. In Experiment III, four participants were exposed to four experimental phases. The results of Experiment III showed the following variables manipulated in conjunction produced behavioral changes for all participants: Low probability of reinforcement manipulated with the delay, high probability of enhancing handled without delay; aversive combination of variables (low probability of reinforcement - 0.20 - plus the delay of 6 seconds) in a combined stimulus of choice in choosing competitor, with high probability of reinforcement (0.80) in the other stimulus led to exclusive choices (maximizing choices). In Experiment VI, four participants were exposed to four experimental phases. The results of Experiment VI demonstrated that the delay was one of the most important variables in behavior change with the release of reinforcements. In Experiment V, five participants were exposed to seven phases. The results of Experiment V showed that the introduction of delay controlled preference for all the participants, the probability of 0.20 or 0.80. Experiment VI and second participants were exposed to five phases. The results of Experiment VI showed that the manipulated variable produced comportal change and the largest magnitude of the delay is more efficient. In Experiment VII,two participants were exposed to nine experimental phases. The results of Experiment VII showed that the number of variables that determine the behaviors walks to a probable infinity. The set of experiments enabled us to verify that the variables studied the delay was the most effective in changing behavior, and that behavior is determined by several variables. The study proposes that the law considers such determination when drafting the legal standard, an expectation of decreasing undesirable behaviors, such as criminal behavior.
Palavras-chave: escolha
comportamento
preferência
reforço
direito
choice
behavior
preference
reinforcement
Law
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de Goiás
Sigla da instituição: PUC Goiás
Departamento: Ciências Humanas
Programa: Stricto Sensu - Doutorado em Psicologia
Citação: LOURENÇO, Cláudia Luiz. Criminal System and Psychology: Free will and determinism.. 2013. 190 f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, GOIÂNIA, 2013.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/1761
Data de defesa: 11-Oct-2013
Appears in Collections:Doutorado em Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Claudia Luiz Lourenco.pdf1,63 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.