???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.pucgoias.edu.br:8080/handle/tede/4162
Tipo do documento: Dissertação
Título: Efeito de uma Ação Educativa com Uso de Metodologia Ativa na Adesão de Profissionais de Saúde à Higienização das Mãos
Título(s) alternativo(s): Effect of an educational action using active methodology in the adhesion of health professionals to the hands hygiene
Autor: Neves, Aglaid Valdejanc Queiroz 
Primeiro orientador: Pereira, Milca Severino
Primeiro coorientador: Souza, Adenícia Custódia Silva e
Primeiro membro da banca: Tipple, Anaclara Ferreira Veiga
Segundo membro da banca: Vieira, Maria Aparecida da Silva
Resumo: A higienização das mãos faz parte do conjunto de boas práticas para a prevenção das infecções relacionadas à assistência à saúde. A adesão à higienização das mãos é baixa nos diversos cenários assistenciais. Em unidades de terapia intensiva essa baixa adesão torna-se ainda mais grave, pela maior susceptibilidade e exposição dos pacientes. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito de uma intervenção educativa com o uso de metodologia ativa na adesão à higienização das mãos entre profissionais de saúde que atuam na unidade de terapia intensiva. Estudo quase experimental do tipo antes e depois. Foram avaliadas variáveis de duas amostras pareadas de profissionais de saúde que atuam em uma unidade de terapia intensiva para pacientes adultos com 20 leitos, em um hospital privado de especialidades, localizado no Estado de Goiás. O estudo foi realizado em três etapas: pré-intervenção, intervenção e pós-intervenção. Participaram profissionais de saúde de nível superior e técnico que atuavam na assistência direta aos pacientes. Também foram avaliados os relatórios epidemiológicos mensais das infecções relacionadas a assistência à saúde na unidade de terapia intensiva gerados pela comissão de controle de infecção hospitalar do referido hospital. Foram excluídos os profissionais de saúde que atuavam na gerência e não prestavam assistência direta aos pacientes, os que faltaram mais de uma vez nas atividades educativas propostas, e aqueles que estavam de férias durante alguma etapa do estudo. Participaram das três etapas do estudo 69 profissionais. A maior parte dos profissionais trabalhavam no turno diurno, com carga horária de trabalho maior que 40 horas semanais, em mais de uma instituição e afirmavam ter participado de alguma atividade educativa sobre higienização das mãos nos últimos 12 meses. O sexo femino representou a maior frequência de profissionais na unidade de terapia intensiva pesquisada nas etapas pré e pós-intervenção 58 (58%) e 44 (63,8%) respectivamente. A adesão global à higienização de mãos foi baixa, onde na pré-intervenção registrou-se 22,3% e após a intervenção educativa subiu para 34,1%. A adesão global à HM apresentou significância estatística com p<0,05 após a intervenção educativa para as seguintes variáveis: sexo feminino e masculino, tempo de formação menor e maior que 24 meses, carga horária de trabalho maior que 40 horas semanais, nível de escolaridade superior e técnico, turno diurno e noturno, profissionais que trabalhavam em uma ou mais de uma instituição de saúde e profissionais que participaram ou não de alguma atividade educativa nos últimos 12 meses. O estudo mostrou aumento da adesão global à higienização das mãos dos profissionais de saúde da unidade de terapia intensiva entre as etapas pré e pós-intervenção com significância estatística. A atividade educativa por meio da metodologia ativa de ensino e aprendizagem com uso do arco de Marguerez revelou-se efetiva para o aumento da adesão à higienização de mãos pelos profissionais de saúde da unidade de terapia intensiva.
Abstract: Hands hygiene is part of the set of best practices for the prevention of healthcare-related infections. The adherence to hands hygiene is low in the various care settings. In intensive care units, this low compliance becomes even more severe, due to the greater susceptibility and exposure of patients. The objective of this study was to evaluate the effect of an educational intervention with the use of active methodology in the adhesion to hands hygiene among health professionals who work in the intensive care unit. A near experimental, before and after study. We evaluated variables of two paired samples of health professionals working in an intensive care unit for adult patients with 20 beds in a private specialty hospital located in the State of Goiás. The study was performed in three stages: pre-intervention, intervention and post-intervention. High level and technical health professionals who worked in direct patient care participated. We also evaluated the monthly epidemiological reports of infections related to health care in the intensive care unit generated by the Hospital Infection Control Committee of the referred hospital. The health professionals who worked in the management and did not provide direct assistance to the patients, those who lacked more than once in the proposed educational activities, and those who were on vacation during some stage of the study were excluded. 69 professionals participated in the three stages of the study. Most of the professionals worked in the day shift, with a workload of more than 40 hours a week, in more than one institution and claimed to have participated in some educational activity on hands hygiene in the last 12 months. Females represented the highest frequency of professionals in the intensive care unit studied in the pre and post-intervention stages 58 (58%) and 44 (63.8%), respectively. The overall adhesion to hands hygiene was low, where in the pre-intervention it was registered 22.3% and after the educational intervention it increased to 34.1%. Overall adherence to hands hygiene presented statistical significance at p <0.05 after the educational intervention for the following variables: female and male, training time shorter and longer than 24 months, workload greater than 40 hours per week, level of higher and technical schooling, day and night shifts, professionals working in one or more health institutions and professionals who have or have not participated in any educational activity in the past 12 months. The study showed an increase in the overall adherence to the hygiene of the hands of the health professionals of the intensive care unit between the pre- and post-intervention stages with statistical significance. The educational activity through the active teaching and learning methodology using the Marguerez arch was effective in increasing adherence to hands hygiene by the health professionals of the intensive care unit.
Palavras-chave: Pessoal de Saúde, Aprendizado Baseado em Problemas, Desinfecção das Mãos, Infecção Hospitalar.
Health Personnel, Problem-Based Learning, Hand Disinfection, Hospital Infection.
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEM
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de Goiás
Sigla da instituição: PUC Goiás
Departamento: Escola de Ciências Sociais e Saúde::Curso de Enfermagem
Programa: Programa de Pós-Graduação STRICTO SENSU em Atenção à Saúde
Citação: Neves, Aglaid Valdejanc Queiroz. Efeito de uma Ação Educativa com Uso de Metodologia Ativa na Adesão de Profissionais de Saúde à Higienização das Mãos. 2018. 99 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação STRICTO SENSU em Atenção à Saúde) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia-GO.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede2.pucgoias.edu.br:8080/handle/tede/4162
Data de defesa: 12-Mar-2018
Appears in Collections:Mestrado em Atenção à Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Aglaid Valdejanc Queiroz Neves.pdfTexto Completo1,47 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.