???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.pucgoias.edu.br:8080/handle/tede/4646
Tipo do documento: Dissertação
Título: Tendência da mortalidade por quedas em idosos no Brasil
Título(s) alternativo(s): Trend of mortality from falls in the elderly in Brazil
Autor: Monteiro, Yara Cristina Martins 
Primeiro orientador: Souza, Adenícia Custódia Silva e
Primeiro membro da banca: Queiroz, Silvio José de
Segundo membro da banca: Neves, Heliny Carneiro Cunha
Resumo: O aumento da expectativa de vida e, consequentemente, o crescimento da população idosa apontam aumento da mortalidade por quedas. Isto representa uma das grandes preocupações de saúde pública, devido à frequência com que estas acontecem e as consequências para a pessoa, família e para o sistema de saúde. Sendo assim, surge a necessidade de monitorar as taxas de óbitos entre a população idosa brasileira, para propiciar o planejamento interdisciplinar de ações de promoção da saúde, de prevenção de agravos e de morte. O objetivo do trabalho foi analisar a tendência de mortalidade por quedas, no Brasil, entre 2008 e 2016. Trata-se de um estudo ecológico de série temporal, com dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM). As taxas de mortalidade foram analisadas por regressão linear simples, estratificadas por região geográfica e faixa etária acima de 60 anos. Foram selecionados no SIM os óbitos classificados como queda, segundo a Classificação Internacional de Doenças (CID-10), capítulo XX, códigos W00 a W19. Os dados mostram um número total de 72.234 óbitos por quedas em idosos brasileiros. Em 2016, verificou-se uma tendência de aumento de óbitos para todas as faixas etárias. Esse crescimento foi maior entre idosos de 80 anos e mais. O maior coeficiente foi na região Centro-Oeste (15,76), contrapondo com a região Sudeste (6,47). As taxas variaram de 29,7 a 44,7 óbitos por 100.000 idosos e aumentaram 1,92 para o período estudado. As taxas aumentaram conforme o aumento da idade, de 60 a 69 anos (coeficiente de regressão= 0,35); de 70 a 79 anos (coeficiente de regressão= 1,38), 80 anos e mais (coeficiente de regressão= 9,10). Para os idosos de 60 a 79 anos de idade, nas regiões Centro-Oeste e Norte, esse aumento não foi estatisticamente significativo e mostrou uma tendência estacionária da taxa de óbitos por quedas. Na região Sudeste, isso ocorreu apenas na faixa etária de 60 a 69 anos. Os óbitos por quedas, no período, ocorreram em idosos do sexo feminino (51,9%), sem companheiros (solteiros, viúvos e separados) (59,9%) e no ambiente de estabelecimentos de saúde (88,3%). As taxas de óbito por quedas mostram um aumento de "Quedas no mesmo nível" (53,8%), apontando uma variação percentual do número de óbitos (31,7%). Também houve uma redução dos óbitos registrados como "Quedas sem especificação" provavelmente, a variação dessas taxas em termos de aumento e redução reflete a melhoria das informações para o banco de dados que vem ocorrendo, nos últimos anos. As quedas constituem um problema de saúde pública, os resultados apontam a magnitude das taxas de óbitos por quedas em idosos e evidenciam a necessidade de formulação de políticas de atenção à saúde, em busca do enfrentamento do problema. Ações interprofissionais e colaborativas devem ser planejadas e implementadas com a interlocução do idoso, da família e da comunidade, para a redução das quedas e uma vida mais saudável e com melhor autoestima
Abstract: The growth in expectancy life and, consequently, the increase of the elderly population, point to the increase in mortality from falls. This is one of the major concerns health public, reflecting on consequences to person, family and the health system. Thus, is need to monitor the death rates among the Brazilian elderly population to provide interdisciplinary planning for health promotion, prevention of disease and death. The objective of this study was to analyze the trend of mortality due to falls in Brazil entre 2008 a 2016. This is a study time-series ecological with data from the Mortality Information System (SIM). Mortality rates were analyzed by simple linear regression, stratified by geographical region and age group over 60 years. Deaths classified as falling according to the International Classification of Diseases (ICD-10), chapter XX, W00 to W19 codes were selected in the SIM. The data show a total number of 72,234 deaths from falls in elderly brazilian. In 2016 there was a trend of increased deaths for all age groups. This growth was greater among elderly people aged 80 and over. The highest coefficient was in the Center-West region (15.76), in contrast to the Southeast region (6.47). Rates ranged from 29.7 to 44.7 deaths per 100,000 elderly and increased by 1.92 for the period studied. Rates increased as the age increased, from 60 to 69 years (regression coefficient = 0.35); from 70 to 79 years (regression coefficient = 1.38), 80 years and over (regression coefficient = 9.10). For the elderly from 60 to 79 years of age, in the Center-West and North regions this increase was not statistically significant and showed steady trend of the death rate due to falls. In the Southeast region this occurred only in the age range of 60 to 69 years. Deaths from falls in the period occurred in female elderly (51.9%), without partners (single, widowed and separated) (59.9%) and in the environment of health facilities (88.3%). Death rates due to falls show an increase of "Falls at the same level" (53.8%), indicating a percentage variation in the number of deaths (31.7%). There was a reduction in numbers of deaths for "falls without specification", thus the variation of this rates in terms of increase and decrease reflect the improvement of information for the database that has been occurring in recent years. The falls constitute in a problem health public, the indicators point to the magnitude of death rates due to falls in the elderly and to evidence of health care policies in search of coping with the problem. Interprofessional and collaborative actions should be planned and implemented with an interlocution of the elderly and the family aiming the reduction this falls, life healthier and better self-esteem
Palavras-chave: Saúde Pública; Idoso; Acidentes por Quedas; Morte; Estudos de Séries Temporais
Public Health; Old Man; Accidents by Falls; Death; Time Series Studies
Área(s) do CNPq: Ciências da Saúde
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de Goiás
Sigla da instituição: PUC Goiás
Departamento: Escola de Ciências Médicas, Famacêuticas e Biomédicas::Curso de Biomedicina
Programa: Programa de Pós-Graduação STRICTO SENSU em Atenção à Saúde
Citação: Monteiro, Yara Cristina Martins. Tendência da mortalidade por quedas em idosos no Brasil. 2018. 78 fl. Dissertação( Programa de Pós-Graduação STRICTO SENSU em Atenção à Saúde) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede2.pucgoias.edu.br:8080/handle/tede/4646
Data de defesa: 18-Dec-2018
Appears in Collections:Mestrado em Atenção à Saúde
Mestrado em Atenção à Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Yara Cristina Martins Monteiro.pdf947,86 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.