???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.pucgoias.edu.br:8080/handle/tede/4780
Tipo do documento: Dissertação
Título: A vivência do HIV no contexto de relacionamentos estáveis : interpretação descritiva
Título(s) alternativo(s): The lived experience of HIV in the stable relationships context : interpretive description study
Autor: Deus, Ana Paula Vieira de 
Primeiro orientador: Vila, Vanessa da Silva Carvalho
Primeiro membro da banca: Ribeiro, Maysa Ferreira Martins
Segundo membro da banca: Teles, Sheila Araújo
Resumo: Trata-se de um estudo descritivo e interpretativo, desenvolvido em um serviço de referência municipal no atendimento de HIV/Aids, da região metropolitana de Goiânia, Goiás. O estudo teve como objetivo compreender a vivência do HIV com ênfase no enfrentamento do processo diagnóstico e das demandas de cuidados em saúde no contexto de relacionamentos estáveis. Participaram 20 pessoas: 17 soropositivas para o HIV e três parcerias (duas soronegativas e uma soropositiva). Por meio da análise temática interpretativa foram identificados três núcleos temáticos: o processo diagnóstico do HIV; enfrentamento do HIV no contexto socioafetivo e sexual; práticas preventivas e terapêuticas. O processo diagnóstico do HIV foi marcado por fatores determinantes para a busca do serviço de saúde após a vivência de sintomas, exames de rotina e confirmação da contaminação pela parceria. O HIV, antes do diagnóstico, era percebido como algo distante da realidade. Os participantes identificaram possíveis causas de contaminação pelo vírus: relações sexuais desprotegidas, compartilhamento de materiais perfurocortantes, transfusão de sangue e acidentes com material biológico. Receber o diagnóstico foi descrito como um caminho solitário, marcado por sentimentos de negação, sofrimento e isolamento, que trouxe para a vida dessas pessoas demandas terapêuticas e sociais complexas, bem como a necessidade de readaptação às atividades de vida diária, modificações nos hábitos alimentares e sexuais e adesão à terapêutica medicamentosa. A decisão de revelar ou omitir o diagnóstico da parceria e dos familiares foi o primeiro passo no enfrentamento do HIV no contexto socioafetivo e sexual. Alguns, por medo da exposição e do julgamento, preferiram omitir o diagnóstico. A maioria mencionou mudanças no comportamento sexual pela necessidade do uso de métodos preventivos e convivência com o risco de transmissão e insegurança no relacionamento. Houve dificuldade para dar continuidade à vida sexual, principalmente por déficit de conhecimento sobre os métodos preventivos e falta de comunicação com os profissionais de saúde. A incorporação dos métodos terapêuticos e preventivos tornou-se fundamental para reabilitação diante do HIV. Os medicamentos antirretrovirais foram descritos como essenciais para manutenção da saúde e qualidade de vida, apesar dos efeitos colaterais. Verificou-se que o uso do preservativo antes do diagnóstico do HIV era um desafio, pois havia confiança na parceria estável, e, após o diagnóstico, resistência para utilizá-lo. Poucos participantes conheciam as profilaxias pré e pósexposição ao HIV, entre eles, os dois casais sorodiscordantes. Verificou-se que a descoberta do HIV traz consigo mudanças e adaptações necessárias para manutenção da vida, sendo grande a responsabilidade dos serviços de saúde em oferecer suporte para esse enfrentamento. A sexualidade ainda é abordada de modo superficial por profissionais de saúde e focada essencialmente na doença, sem levar em consideração a qualidade da vida sexual da pessoa que vive com HIV, tampouco o gerenciamento de risco diante dessa enfermidade crônica. Na vivência com o HIV, o maior desafio é lidar com o preconceito, julgamento e estigma que tanto expõem essas pessoas à vulnerabilidade física e social
Abstract: This interpretative description developed in HIV health service, in the metropolitan region of Goiânia, Goiás. The study aimed at understanding the experience of HIV focus on the diagnostic process and the demands health care in the context of stable relationships. Twenty participants, 17 HIV patients and three partnerships (two HIV negative and one HIV positive). Through thematic analysis, the main aspects described was: the HIV diagnostic process; coping with HIV in the socio-affective and sexual context; preventive and therapeutic practices. The HIV diagnostic process was marked by determining factors for seeking health care, after experiencing symptoms, routine tests and confirmation tests of HIV by the partnership. Before the diagnosis, HIV was perceived as something far from its reality. Participants attributed the possible causes of contamination by the virus, unprotected sex, the sharing of sharp materials, blood transfusions and accidents with biological material. Receiving the diagnosis was described as a lonely path, marked by feelings of denial, suffering and isolation that brought complex therapeutic and social demands to these people's lives, requiring readaptation to activities of daily living, with changes in eating, sexual and sexual habits. the need to adhere to drug therapy. The decision to reveal or omit the diagnosis of the partnership and family members was the first step required to face HIV in the socio-affective and sexual context. The fear of exposure and judgment were the justification for choosing to omit the diagnosis. The majority mentioned changes in sexual behavior in terms of the need to implement preventive methods and living with the fear of transmission and insecurity in the relationship. The factors related to the difficulty to continue sexual life were mainly the lack of knowledge about preventive methods and the lack of communication with health professionals. The experience of therapeutic and preventive methods became crucial to rehabilitation to HIV. Antiretroviral drugs have been described as essential to maintaining the health and quality of life. Nevertheless, many described side effects. It was found that the use of condoms before the diagnosis of HIV was a challenge. Many did not use to rely on stable partnership. Other even when diagnosis of HIV still remained on rejection of condom use. Few participants knew the prophylaxis pre and post-exposure to HIV, among these the two discordant couples. It was found that discovery of HIV brings changes and adjustments necessary to maintain life, being of great responsibility of health services support for this confrontation. Sexuality is still superficially addressed by health professionals and focused mainly on the disease, regardless of the quality of the sexual life of the person living with HIV, as well as risk management against this chronic disease. In living with HIV, the greatest challenge is to deal with prejudice, judgment and stigma that make these people exposed to physical and social vulnerability
Palavras-chave: HIV; Síndrome de Imunodeficiência Adquirida; Cônjuges; Relações Interpessoais; Pesquisa Qualitativa; Enfermagem
HIV; Acquired Immunodeficiency Syndrome; Spouses; Interpersonal Relations; Qualitative Research
Área(s) do CNPq: Ciências da Saúde
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de Goiás
Sigla da instituição: PUC Goiás
Departamento: Escola de Ciências Sociais e da Saúde
Programa: Programa de Pós-Graduação STRICTO SENSU em Atenção à Saúde
Citação: DEUS, Ana Paula Vieira de. A vivência do HIV no contexto de relacionamentos estáveis: interpretação descritiva. 2020. 145 f. Dissertação (mestrado) -- Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Escola de Ciências Sociais e da Saúde, Goiânia, 2020.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede2.pucgoias.edu.br:8080/handle/tede/4780
Data de defesa: 20-Mar-2020
Appears in Collections:Mestrado em Atenção à Saúde
Mestrado em Atenção à Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ana Paula Vieira de Deus.pdfTexto Completo1,2 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.